Oficina de culinária ensina preparação de pratos diferenciados a profissionais responsáveis pela alimentação escolar do município de Macapá

Capacitação incluiu o preparo do cuscuz com ovos, charque, frango, sardinha e carne fresca e a macarronada de soja

0 29

Manter uma alimentação de qualidade aos estudantes da rede municipal de ensino é uma das prioridades da Prefeitura de Macapá. E neste sentido, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio do Departamento de Segurança e Gestão Alimentar (Dsga), realizou nesta segunda-feira (9), oficina de culinária para merendeiras, gestores e secretários administrativos.

A capacitação foi gravada e será encaminhada aos profissionais de toda a rede de ensino do município, para que possam variar as opções de pratos disponível no cardápio da merenda escolar.

Segundo, Ruth Coelho, chefe de capacitação alimentar e nutricionista da Semed, a oficina vem de encontro a uma necessidade observada pela sua equipe, de tornar atrativa aos estudantes, a alimentação incluindo o floco de milho e a soja, que são alimentos ricos em nutrientes.

- Advertisement -

“Hoje vamos ensinar uma variedade de pratos deliciosos, onde vamos utilizar o flocão, que é o ingrediente do cuscuz e a soja. Normalmente, nas escolas o cuscuz é servido doce, hoje vamos passar a receita de pratos salgados”, destacou a nutricionista Ruth Coelho.

Pela manhã, a capacitação incluiu o preparo do cuscuz com ovos, charque, frango, sardinha e carne fresca, e à tarde, a soja foi o principal ingrediente no preparo de uma deliciosa macarronada.

Ruth ainda ressaltou que o cardápio escolar é adequado a cada público, atendendo as peculiaridades de cada grupo, tanto na capital quanto na zona rural.

Os alimentos são preparados, em sua maioria,  com ingredientes minimamente processados, livres de sódio e açúcar em excesso.

Jullyhandra Nascimento, diretora e responsável técnica do Dsga, enfatizou a importância da inclusão de alimentos provenientes da agricultura familiar no cardápio alimentar dos estudantes. “Além da alimentação se tornar mais rica em nutrientes, uma vez que os alimentos chegam às escolas recém colhidos, como é o caso das hortaliças, é uma forma de contribuir com o produtor local e fomentar a economia do município”, disse a diretora.

A oficina é uma forma de oportunizar e capacitar esses profissionais da educação para melhor atender os estudantes da rede municipal de ensino.

O cardápio nas escolas municipais obedece às diretrizes do Programa Nacional de Alimentação escolar (PNAE) – Resolução 06/2020 e 20/2020.

São 104 unidades de educação, nas áreas rural e urbana, que garantem, nos três turnos (onde há atendimento EJA), alimento de qualidade aos mais de 34 mil alunos matriculados.

Confira mais fotos

Comentários
Carregando...