Macapá alcança mais de 67 mil empregos formais e lidera ranking no Caged

Prefeitura de Macapá fechou o ano de 2023 com uma média de crescimento de 7.44% na geração de empregos formais, em relação ao ano anterior

0 24

Macapá tem sido palco de boas notícias em todas as áreas da gestão municipal. E já inicia 2024 embalada pelos bons ventos do norte com mais um ótimo resultado no Caged, que é o dispositivo do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do país.

A Prefeitura de Macapá fechou o ano de 2023 com o número de 67.008 cidadãos formalmente empregados, com uma média de crescimento de 7.44% em relação ao ano anterior.

De acordo com dados do Caged, a capital amapaense é uma das mais bem colocadas no ranking daquelas que mais geraram empregos com carteira assinada no país, no ano passado.

- Advertisement -

Segundo o prefeito, Dr. Furlan, no início de seu mandato, em janeiro de 2021, o número de trabalhadores formais em Macapá era de 51.568 pessoas, fechando em dezembro com a marca de 57.842 cidadãos com carteira assinada no município. Seguindo numa crescente nos anos de 2022, com 62.659 pessoas empregadas, e em 2023 alcança mais de 67 mil empregados formais na capital Macapá.

Foram 15.440 empregos formalizados (resultado da variação entre admissões e desligamentos) desde o início da gestão, em 2021.

“Isso é fruto de muito trabalho, de investimentos em infraestrutura, muitas obras na cidade, e também de um ambiente de negócio favorável, que faz com que, a iniciativa privada também realize investimentos em suas áreas de atuação. Nossa meta para 2024 é alcançar 80 mil pessoas empregadas formalmente, em nossa cidade”, enfatizou o prefeito de Macapá, Dr. Furlan.

Mais sobre o CAGED

CAGED é a sigla para Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. É o dispositivo legal utilizado pelo Ministério do Trabalho e Emprego para acompanhar a situação da mão de obra formal no Brasil, a fim de levantar dados de geração de emprego e desemprego no país.

Desde que o CAGED foi instituído no país, pela Lei nº 4.923, de 23 de dezembro de 1965, a comunicação por parte das empresas, sobre registro de admissões e dispensa de colaboradores regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) se tornou obrigatória.

Comentários
Carregando...