Profissionais de educação da rede de ensino do município recebem capacitação de primeiros socorros

Projeto atende de duas a três escolas por semana com aulas teóricas e demonstrações práticas dos procedimentos corretos

0 83

Em continuidade às capacitações de primeiros socorros do projeto “Lucas Vive” (Paratus Treinamentos), a Secretaria Municipal de Educação, em parceria com a Divisão de Saúde do Educando e Divisão de Educação Infantil, realizou nesta terça-feira (6), mais um treinamento, desta vez, direcionado aos profissionais da Emef Professora Lucia Neves Deniur, localizada na zona norte da capital.

Regiane Coutinho, chefe da Divisão de Educação Infantil (Dise), conta que o projeto, desde que começou na rede municipal de ensino, em 2022, já atendeu mais de mil profissionais da educação. Até o momento foram 29 unidades escolares atendidas. A cada semana, duas a três escolas recebem o projeto. “Esta é uma iniciativa que faz valer a Lei Lucas (nº 13722/18) que obriga escolas e espaços que atendem crianças, a se prepararem para atendimentos de primeiros socorros, e o município de Macapá está fazendo cumprir essa lei”, explicou a chefe da Dise.

Regiane Coutinho, chefe da Divisão de Educação Infantil. Foto: Jesiel Braga | PMM

- Advertisement -

Para Claudevania de Lima Carvalho, professora do 2° período daquela escola, fazer a capacitação de primeiros socorros é uma obrigação de todo profissional que trabalha com o público infantil.

“As crianças, até pela ingenuidade delas, estão mais sujeitas a acidentes, como engolir um objeto pequeno ou cair e se machucar, então, o profissional que atende esse público precisa estar preparado para essas situações. Por isso é tão importante essa formação”, ressaltou a professora.

Claudevania de Lima, professora da Emef Profa. Lúcia Neves Deniur. Foto: Jesiel Braga | PMM

Além da aula teórica, o instrutor Firmo Leite, coordenador do projeto “Lucas Vive”, fez demonstrações práticas de possíveis situações onde será necessário intervir com os primeiros socorros. Ele destacou a importância de realizar o treinamento no ambiente escolar trazendo mais segurança para as crianças e para os profissionais da educação.

“Às vezes, um simples sangramento no nariz da criança pode trazer consequências mais graves se não for aplicado, naquele momento, o procedimento correto. A capacitação vai preparar esses profissionais para o atendimento de primeiros socorros, até que seja possível o atendimento médico”, frisou o instrutor.

Sobre a Lei Lucas

Em setembro de 2017, o aluno Lucas Begallo morreu engasgado em uma excursão escolar, no Município de Campinas, em São Paulo. O Senado Federal, no dia 04 de outubro de 2018, aprovou a Lei 13.722/18 – a Lei Lucas.

Essa lei tem por objetivo capacitar os funcionários de escolas públicas e privadas de ensino infantil e básico, em todo o Brasil, dando suporte aos estudantes que se encontram em situação de emergência e precisam de assistência imediata até que o órgão competente chegue ao local.

Confira mais fotos:

Fotos: Jesiel Braga | PMM

Comentários
Carregando...