Professora de escola municipal de Macapá desenvolve projeto de incentivo à leitura

Jogos de memória, bingo de palavras, quebra-cabeça e criação de histórias em quadrinhos são algumas das atividades desenvolvidas em sala de aula com intuito de desenvolver as habilidades de leitura e escrita nos estudantes

0 142

Trabalhar com o aquilo que se ama faz toda diferença na vida das pessoas. E foi assim, querendo fazer a diferença, que Marineth dos Santos, professora do 3° ano da Emef Esforço Popular, Zona Sul de Macapá, lançou o projeto “Concurso de Leitores”. A iniciativa funciona como incentivo à leitura e escrita dentro de sala de aula.

A professora se utiliza de metodologias e estratégias diferenciadas para desenvolver as habilidades dos 31 alunos de sua turma, como os jogos de memória, bingo de palavras, de sílabas e textos, quebra-cabeça, histórias em quadrinhos, jogos manuais, desenhos e muita criatividade.

Tudo começou porque essa turma, logo no início do ano letivo, tinha muita dificuldade na aprendizagem, então a professora teve a ideia de lançar o projeto como forma de desafiar os alunos a se superarem.

- Advertisement -

Atualmente, 100% dos estudantes dessa turma são leitores e a maior parte deles é leitor fluente, ou seja, alunos que não encontram dificuldades em decifrar as palavras e leem sem grandes pausas, obedecendo as pontuações do texto.

Durante as aulas, os pequenos são desafiados com apresentações de leitura e realização das atividades citadas. Dessa forma, Marineth acompanha a evolução de cada um. A professora afixou um cartaz na sala de aula com os nomes daqueles alunos que se saíram melhor.

“Ah, essa tabela é um incentivo pra eles, ninguém quer ficar por último nesta lista, então eles se esforçam cada vez mais para evoluírem na leitura e na escrita”, disse a professora.

Enquanto fala, é possível perceber a emoção da professora. Ela diz que ensinar é um dom e ver um aluno que não sabia quase nada, lendo com fluência é gratificante.

Kariny Michely, 8 anos falou animada de seu desenvolvimento na sala de aula. “A minha professora ensina muitas coisas que eu gosto muito. A minha matéria favorita é língua portuguesa. Todo dia aprendo alguma coisa nova”, disse Kariny, que é fluente em leitura.

O Pequeno Igor Daniel, de 8 anos, é um dos orgulhos da professora Marineth. Ele é um aluno com TEA (Transtorno do Espectro Autista) e ama as atividades desenvolvidas em sala de aula. Para a atividade de criação das histórias em quadrinhos, foi ele quem sugeriu a ideia do tema

“O príncipe e o dragão contra os terríveis monstros”. Ele disse que ama estudar e aprende muito com a sua turma. “Eu gosto de ler porque me interesso muito pelas histórias. Gosto das atividades que faço na escola”.

Vera Favacho, diretora da Emef Esforço Popular, disse que o projeto será expandido para todas as turmas da escola a partir do terceiro bimestre.

“A iniciativa da professora Marineth deu tão certo que vamos desenvolvê-lo também nas outras turmas”, disse a diretora, empolgada.

As atividades de leitura e escrita são realizadas em conjunto com as aulas das outras disciplinas normais da grade de ensino.

Comentários
Carregando...